Alexandre Frota acha que CPI da Rouanet deve “desculpas ao Zé de Abreu”

Compartilhe:

Cada dia que passa, Alexandre Frota aprende melhor a jogar para a torcida. O ex-ator e atual deputado declarou hoje que “os que comandaram a CPI da Rouanet devem desculpas ao Zé de Abreu”.

Alexandre Frota 77

@alefrota77

Aliás agora com tudo esclarecido acho que os que comandaram a CPI da Rouanet devem desculpas ao @zehdeabreu acusaram ele de ter surrupiado $ 300 mil da Lei mas quem está devendo mesmo é a nova ministra Regina Namoradinha do Bolsonaro . $ 319 mil reais deve ao Gov.@jairbolsonaro

O ator, por sua vez, não cai na conversinha.

 

José de Abreu

@zehdeabreu

O que aconteceu com Alexandre Frota? De meu inimigo mortal, que vivia querendo me dar porrada toda semana, passou a me puxar o saco? Tomou Cialis, como Bolsonaro, e a cabeca pegou no tranco? Tic Tac Tic Tac https://twitter.com/alefrota77/status/1221368712458129408 

Alexandre Frota 77

@alefrota77

Aliás agora com tudo esclarecido acho que os que comandaram a CPI da Rouanet devem desculpas ao @zehdeabreu acusaram ele de ter surrupiado $ 300 mil da Lei mas quem está devendo mesmo é a nova ministra Regina Namoradinha do Bolsonaro . $ 319 mil reais deve ao Gov.@jairbolsonaro

Esse negócio do Cialis só me faz revirar os olhos, aliás. É engraçado expor um sujeito de masculinidade rançosa? É. Ser homem é sobre isso? Não. A masculinidade frágil feito porcelana vende que “ser homem”se resume a ter um pau, e duro, mas sabemos que não é sobre isso. Essa infantilidade. Essa quinta série no banheiro. Guardem os pirus, rapazes.

Revejam a masculinidade, homens, por favor. Parem de chamar os outros de mulherzinha. De tchutchuca. Dizer que fulano “fala fino” quando querem desmerecer. Dá pra criticar sem isso.

Anotem, por favor.

Mas assim: o Frota já pediu desculpas por ajudar a eleger esse homem que está na presidência? Já pediu desculpas por contribuir para essa narrativa tosca? Então o que está falando? Agora não adianta virar a casaca, homem. E muito menos pedir desculpas.

Que momento insalubre da política nacional.