Amazonas é uma imensidão, Manaus uma Cidade-Estado

Compartilhe:

É de se esperar que, quando governador (só não o será se ocorrer um terremoto político capaz de leva-lo a perder a montanha de votos que as pesquisas lhe apontam), o Dudu se lembre de fazer esses périplos que agora se vê obrigado em razão dos votos que tem de conquistar. Sabemos que no Estado cabem vários países da Europa. É uma imensidão. Poderia ser dividido em 4 Regiões administrativas bem distintas geograficamente, ou calhas de rios: Alto Solimões, Baixo Amazonas, Negro e Madeira. E mesmo assim não seria fácil cuidar de tudo.

Manaus é uma Cidade-Estado que sozinha já exige o cuidado especial de um prefeito e do próprio governador, que aqui mora. Se em Manaus as coisas já são difíceis, imagina no interior.

O governador poderia criar 4 cargos com funções típicas de administrador e status de secretários e a eles confiar um pequeno orçamento, proporcional à população e à extensão territorial e ainda inversamente proporcional à soma dos orçamentos dos município dessas Regiões, quem sabe criando na prática embriões de futuros Territórios Federais. Coragem, governador!

ENCONTRO NACIONAL DE REITORES

Bom, além do turismo que essas reuniões proporcionam, o que mais se poderá tirar de proveito? Os organizadores do evento dão conta de que o local será o “Hotel Tropical, zona Oeste de Manaus”, onde “cerca de 150 participantes, entre reitores, pró-reitores de ensino e de desenvolvimento institucional de 41 institutos federais para debater questões de interesse dessas instituições de ensino”. Não apenas, pois sobrará algum tempo para ser discutido “o Projeto de Lei sobre a Reformulação do Ensino Médio e, no FDI, os pró-reitores irão debater o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) que define as estratégias para atingir as metas e objetivos da Instituição em um período de cinco anos”. Ah, bem! Então tá explicado. Esperamos é que, em tempo o mais breve possível, os alunos dessas IFES saiam das mesmas “mais sabidos” do que saem hoje. É muito?
——