China obriga mineradores de Bitcoin a encerrar atividades

Compartilhe:

A China continua sua campanha para suprimir o mercado de criptomoedas. Essa é uma “batalha” que vem acontecendo nas últimas semanas e acabou de avançar um pouco mais, com o governo chinês ordenando o fechamento das operações de mineração em duas províncias.

De acordo com o The Block, o governo provincial de Qinghai emitiu uma ordem para os oficiais encerrarem operações de mineração de criptomoedas na região a partir de hoje.

Além de Qinghai, o governo chinês também ordenou o fim das operações de mineração de criptomoedas também no distrito industrial de Xianjiang, um local conhecido por ser tecnologicamente e economicamente avançado.

Enquanto Qinghai é uma região “menos preocupante”, tendo cerca de apenas 0,26% da mineração do Bitcoin, sendo quase que inexpressiva para o ecossistema, Xianjiang tem um pouco mais de influência no poder de mineração da criptomoeda.

O distrito industrial possui mais de 15 mil Km² de extensão e conta com várias industrias de produção de carvão e até mesmo usinas de energia elétrica.

O distrito também conta com grandes mineradoras de Bitcoin, algumas das maiores da China, justamente por causa da disponibilidade de energia elétrica.

Os documentos de ordem para a província de Qinghai foram divulgados nas redes sociais. Neles as autoridades pedem que os oficiais “parem de aprovar e criar novos projetos de mineração de criptomoeda. Suspenda todas as operações existentes.”

Não é de agora que o governo da China está aos poucos impactando a mineração de Bitcoin na região. A Mongólia Interior, que também tinha uma boa influência no poder computacional do Bitcoin também proibiu a mineração, citando, principalmente, o impacto ambiental que a moeda pode causar.

A preocupação em relação à como a China vem lidando com a mineração de Bitcoin é grande, principalmente porque os reguladores de Sichuan também estão considerando a proibição da atividade. Sichuan é uma das regiões com maior número de mineradoras do país asiático.

Caso a proibição em Sichuan se concretize, o impacto no poder de mineração do Bitcoin pode ser consideravelmente grande, mas em um curto período.

China pode acabar com o Bitcoin?

Durante essas últimas atualizações muitos críticos do Bitcoin estão apontando a “fraqueza” da moeda, que pode ser encerrada por um governo centralizado.

Mas a verdade é que a rede do Bitcoin foi desenhada para não depender da centralização de seu poder computacional.

A China representa 60% da mineração do Bitcoin? Sim! Então ela controla 60% da rede Bitcoin? Não!

Na pior das hipóteses, se a China decidir banir de vez a mineração da criptomoeda, o hashrate vai ser distribuído entre as outras mineradoras que estão fora do país, a taxa de dificuldade será ajustada nas semanas seguintes e “vida que segue”.