Conheça três tendências digitais para o futuro da educação

Compartilhe:

Os professores tiveram de se adaptar ao ensino remoto por conta da pandemia de Covid-19, que trouxe um avanço na transformação digital em todos os setores, principalmente no educacional. Com a evolução da vacinação no país, algumas escolas retomaram as aulas e outras continuam no ensino online. O especialista no mercado educacional e gerente B2B da Wacom no Brasil, Gustavo Pedrazini, fala sobre as principais tendências educacionais pós-pandemia. 

Segundo estudo publicado em 2021, da BlinkLearning, sobre o uso da tecnologia na educação, 85% dos professores recomendam o uso de tecnologias para o ensino. Nesse Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro, vale ressaltar os desafios que esses importantes profissionais terão que conviver no futuro.  

“Os professores estão se tornando cada vez mais criativos e dinâmicos com o uso de ferramentas digitais, que os auxiliam no ambiente digital, o qual, tem se transformado em um lugar de conexão entre professor e aluno”, comenta Gustavo Pedrazini, gerente B2B na Wacom Brasil e especialista no setor educacional.

Confira abaixo as principais tendências digitais para professores ficarem atentos.

1) Ensino híbrido

O sistema de ensino híbrido se tornou uma tendência que deve permanecer pós-pandemia.   Segundo o estudo BlinkLearning, 75% dos professores usam diariamente as ferramentas digitais para ministrar suas aulas. O ensino híbrido ainda garante que os alunos tenham acesso ao conteúdo de forma inovadora e interativa, mantendo o convívio social em salas de aulas regularmente.

A Wacom oferece vários produtos que podem ser utilizados para facilitar essa rotina do educador. O monitor interativo Wacom One permite que educadores criem os próprios conteúdos com a vantagem de uma segunda tela. Além disso, oferece conexão USB com PC Windows, MAC e dispositivo Android, sendo compatível também com Chromebook.

Para facilitar o uso do monitor interativo, as canetas digitais da Wacom podem ser utilizadas para substituir o mouse. São ergonômicas e de fácil adaptação, tornando possível controlar o movimento do cursor. Além de proporcionar sensibilidade à pressão na hora de escrever ou desenhar. As canetas Wacom são leves e não possuem fios e bateria, tornando possível o uso por horas ininterruptas.

2) Aumento do uso de aparelhos mobile

Os aparelhos mobile, como celular, tablets, notebooks e mesas digitalizadoras, tiveram grande aumento durante a pandemia. Segundo dados revelados pela Gartner, o número de dispositivos em uso no planeta terá uma alta em unidades de 125 milhões em 2021. Esses aparelhos, além de serem de fácil e rápido acesso, se tornaram meios que são simples de levar para qualquer lugar. A tendência é que haja continuidade desse movimento.

 As mesas digitalizadoras da Wacom, como a Wacom Intuos podem ser uma opção quando se fala em mobilidade. A mesa digitalizadora é compacta, leve e de fácil adaptação. Além de proporcionar conexão via USB com PC Windows, MAC, ainda conecta com dispositivos Android.

3) Aprendizagem colaborativa

No novo formato de ensino, a colaboração entre alunos e professores é essencial, pois deve haver conexão e interação entre eles. Já há diversas opções de softwares e aplicativos, pagos e gratuitos, que podem auxiliar nesses objetivos. 

A Wacom tem parcerias com 5 softwares especializados que auxiliam professores no ensino remoto, e podem ser usados por até 6 meses na compra de um produto Wacom. Um dos softwres é o Limnu, que atua como um quadro branco online com videoconferência integrada e permite a colaboração em tempo real. Ainda acompanha funções para anotações e desenhos colaborativo.

Outra opção do mercado é o Explain Everything. Também é um quadro branco colaborativo, que permite gravações de vídeo, e funciona no Android, iOS, Chromebook e navegador da web. Já o Collaboard é um aplicativo que permite a colaboração em tempo real com tela infinita.