CPI da Pandemia muda depoimento de advogada de Bolsonaro e marca votação do relatório final

Compartilhe:

Em reunião por videoconferência realizada neste domingo (12), a CPI da Pandemia decidiu marcar para os dias 28 e 29 de setembro a votação do relatório final do senador Renan Calheiros (MDB-AL), estendendo os trabalhos por mais uma semana.

Os senadores também desistiram de ouvir, na próxima quinta-feira (16), a advogada Karina Kufa, que atua para a família Bolsonaro. No lugar dela, será ouvido Danilo Trento, diretor da Precisa Medicamentos.

O senador Renan Calheiros deverá apresentar seu relatório entre os dias 23 e 24. Será concedido o prazo de uma semana, então, para os integrantes da comissão analisarem as conclusões do emedebista.

Na próxima terça-feira (14), os senadores ouvirão Marcos Tolentino, sócio do Fib Bank. Já na quarta (15) será a vez de ouvir Marconny Albernaz Faria, apontado como lobista da Precisa. Ele deveria ter prestado depoimento à CPI no último dia 2, mas  apresentou atestado médico para justificar sua ausência. Quanto a Marcos Toletino, a CPI se ampara em decisão judicial que torna sua presença na comissão obrigatória.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues, (Rede-AP), vice-presidente da comissão, a CPI deve decidir nesta semana votar o requerimento do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), para convocar Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro e mãe de Jair Renan.