Hamilton Mourão gasta R$ 194 mil em ‘repaginada’ no Palácio do Jaburu

Brasília-DF, 29/06/2011. Palácio do Jaburu. Foto: Ichiro Guerra/PR.
Compartilhe:

Nos últimos dois anos, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, investiu cerca de R$ 194 mil dos cofres públicos para renovar a decoração de sua residência oficial, o Palácio do Jaburu, e de espaços ligados ao gabinete.

De acordo com informações de portal de compras do Ministério da Economia, foram comprados, em 2019 e 2020, artigos esportivos, esteiras elétricas, louças e vários jogos de cama.

No total, os gastos da Vice-Presidência, em dois anos, totalizaram R$ 2,3 milhões. Em 2019, o valor de todos os gastos da Vice-Presidência chegou a R$ 1,7 milhão, contra R$ 590 mil desembolsados em 2020.

Pelos editais, pouco mais de R$ 50 mil foram destinados à aquisição de enxoval: colchas, saias para cama, cobertores, travesseiros, toalhas e colchões, além de lençóis brancos, de algodão egípcio, para as camas de tamanho Queen do Palácio do Jaburu. A licitação previa a compra também de jogos em azul Royal, de solteiro, com a marca do palácio bordada, para uso da equipe de segurança do órgão e da guarda azul.

Entre os itens, estão ainda uma série de produtos esportivos, como bolas de tênis, vôlei e futebol, além de uma multiestação de musculação e esteira elétrica, um investimento de quase R$ 80 mil.

Em dezembro, a Vice-Presidência abriu licitação para adquirir uma bicicleta de spinning de R$ 9.945. De acordo com as especificações do edital, o aparelho deveria ter “banco anatômico com ajuste horizontal, calorias, RPM e frequência cardíaca, monitoramento cardíaco sem fio, resistência magnética suave e silenciosa com 100 níveis de resistência, pedais com encaixes padrão ou clipes SPD, encaixe para tablet ou celular projetado para o uso durante o treino, conectividade bluetooth, entrada USB, suporte para garrafas duplo e peso máximo suportado de 150 kg”.

O gabinete da Vice-Presidência também investiu cerca de R$ 64 mil em utensílios de cozinha. Mourão trocou as lixeiras e comprou champanheira, taças de vinho e licor, maçarico, tábua de frios, aparelho de jantar de porcelana, tábua de pizza em mogno africano e misturador para suco com acabamento em estilo Murano.

O órgão ainda publicou em novembro um aviso de licitação para a compra de duas poltronas elétricas, reclináveis, giratórias e de couro natural. A compra teve o custo, no total, R$ 14.580, sendo previsto o preço de R$ 7.290, em cada uma. (Yahoo Notícias)