Izabel Nascimento desmente Pazuello sobre estratégia de vacinação, diz site

Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estam na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.
Compartilhe:

Em entrevista à Sputnik Brasil, Izabel Nascimento, coordenadora estadual de imunização da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM), afirma também que as vacinas prometidas ao estado para esta semana ainda não chegaram.

Ao contrário do que foi afirmado pelo Ministério da Saúde, a vacinação no Amazonas não utilizará o modelo de colégios eleitorais para imunizar a população do estado. À Sputnik Brasil, a coordenadora afirma que “a estratégia não mudou, continua a mesma”.

“Com certeza, não vai mudar. Vai ser feito como sempre estivemos fazendo, e sempre tivemos êxito em nossas campanhas”, afirmou Nascimento nesta segunda-feira (22), em entrevista à Sputnik Brasil.
De acordo com o que a pasta havia anunciado, os amazonenses procurariam seu local de votação para tomar a vacina, descentralizando a campanha dos postos de saúde. No entanto, segundo Nascimento, esta foi apenas uma “proposta” que chegou a ser discutida em uma reunião, que contou com a presença das Forças Armadas: “Não há necessidade neste momento de que isso seja realizado”.

“Temos unidades de saúde em todas as zonas do município de Manaus. A população já sabe onde há postos de vacinação, isso é feito anualmente. Sempre demos conta de fazer nosso trabalho”, diz Nascimento.

A coordenadora argumenta que o percentual da população a ser vacinada contra a COVID-19 é igual ao de campanhas de vacinação contra a gripe, por exemplo. Por isso, o sistema de saúde do estado já está preparado para imunizar os amazonenses contra o novo coronavírus.

Além disso, ela destaca que não basta disponibilizar salas para vacinar a população – é necessário também capacitar as pessoas para vacinar, registrar as imunizações realizadas e organizar a população.

Matéria completa aqui