Jejum intermitente em grupo funciona melhor, afirma estudo

Compartilhe:

Inúmeros motivos podem motivar uma pessoa a começar uma dieta – ter uma alimentação mais saudável, emagrecer ou combater um problema de saúde – por exemplo. O mais difícil, no entanto, é seguir com ela até o fim e alcançar os objetivos pretendidos.

Um estudo realizado na Queen Mary University of London, no Reino Unido, concluiu que a dieta 5:2 – um exemplo de jejum intermitente com cinco dias de dieta livre e dois com a restrição significativa de calorias – é mais eficiente quando os pacientes participam de sessões semanais em que conversam sobre o assunto.

Estudo

O estudo da universidade inglesa contou com a participação de 300 voluntários com obesidade, recrutados entre 27 de junho de 2016 e 15 de junho de 2018, e acompanhados por um ano. Os resultados foram publicados na quarta-feira (17/11), na revista científica PLOS One.

Os participantes foram divididos em três grupos. No primeiro, 100 pessoas passaram por uma consulta de 20 minutos na qual um conselheiro explicou o programa, repassou folhetos com orientações sobre controle de porções, diário alimentar e como evitar lanches desnecessários, por exemplo.

No segundo grupo, denominado “autoajuda”, além da sessão de 20 minutos, os outros 100 participantes receberam um folheto sobre como restringir a ingestão calórica a 500 kcal, para as mulheres, e 600 kcal para os homens, duas vezes por semana, com exemplos de refeições contendo a quantidade necessária de calorias e dicas para suporte online para a dieta 5:2. Um conselheiro também explicou o programa e respondeu às perguntas dos voluntários.

Já no terceiro grupo, chamado de “com apoio”, além de todas as orientações anteriores, os 100 participantes foram convidados a frequentarem seis sessões em grupo, com duração de uma hora cada.

Nos encontros, os voluntários eram estimulados a falar sobre suas experiências ao longo da semana, se conseguiram aderir ao plano, se cozinharam ou consumiram comidas pré-preparadas e como lidaram com a fome. O foco das sessões era no compartilhamento de experiências e a manutenção da motivação.

Resultados

Ao final dos 12 meses, os cientistas observaram que cerca de 28% do grupo “com apoio” perdeu pelo menos 5% do peso corporal no período. A porcentagem de pessoas que conseguiram perder peso caiu para 18% no grupo “autoajuda” e para 15% no grupo de aconselhamento convencional.

De acordo com os pesquisadores, os participantes da dieta 5:2 avaliaram melhor sua experiência durante o experimento em comparação aos que receberam apenas conselhos convencionais de controle de peso. As pessoas que fizeram a dieta se mostraram mais dispostas a continuar o plano alimentar após o término do experimento.

Assim, eles concluíram que “a abordagem não é superior ao conselho multimodal padrão, mas é mais simples e atraente para os usuários”, facilitando a adesão de longa duração. (Metrópoles)