Josué Neto diz que governo “caga” na cabeça de Sinésio e pergunta quanto o dono da Cigás pagou para segurar lei do gás

Compartilhe:

O clima nesta manhã de terça-feira, 14, ensolarada, registrou no termômetro político temperatura elevada lá pelos lados da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

Inconformado pelo veto do governo à lei do gás e pela demora do envio de um novo projeto ao poder legislativo, que regulamenta a atividade no Amazonas, com o rompimento do monopólio da Cigás, o presidente da Aleam, deputado Josué Neto, não conteve a língua e disparou pesado contra o governo um rosário de acusações e de impropérios.

Josué Neto disse, por exemplo, que governo, ao criar uma segunda comissão para tratar da nova lei do gás, “caga” na cabeça do deputado Sinésio Campos.

“É tanto cocô que faz esse governo…primeiro cria uma comissão e nomeia o Sinésio como relator, que já concluiu e apresentou o resultado de seu trabalho. Depois, cria uma nova comissão. A título de que”? indaga.

A base do governo manteve-se em silêncio, atiçando ainda mais a irritação do presidente da Aleam, que é o autor do PL que propõe a quebra do monopólio da Cigas.

“Quem é que paga para o governo não querer o fim do monopólio da Cigás? Quanto é que paga o dono da Cigás, o senhor Carlos Suarez, para a nova lei não chegar na Alem? Tomem vergonha na cara.

VEJA VÍDEO