Luizianne Lins diz que Ciro Gomes “nunca foi de esquerda, quem mora no Ceará sabe disso”

Compartilhe:

A deputada federal Luizianne Lins (PT-CE), pré-candidata à Prefeitura de Fortaleza pelo PT, fez duras críticas ao ex-ministro Ciro Gomes durante entrevista no programa Fórum Café, comandado por Plínio Teodoro e Cristina Coghi, na segunda-feira (10). Para ela, o ex-governador do Ceará “nunca foi de esquerda” e não trabalha em prol do coletivo.

As críticas a Ciro surgiram quando a ex-prefeita de Fortaleza comentava sobre a relação com o governador Camilo Santana (PT). “Minha relação pessoal com o Camilo é boa, mas a questão é que ele é mal acompanhado. Ele lá é acompanhado pelos Gomes e um tempo atrás eu rompi com eles. Não tem condição de você ter um aliança com aquele grau de grosseria. Principalmente quanto à forma que ele passou a tratar o Lula e o PT nesse último período”, afirmou. “Os Gomes não têm respeito por ninguém não. Eles não mandaram os petistas pra PQP? Outro dia não tava xingando o Lula de tudo que é jeito?”, completou.

“O Ciro não implica só com o Lula, ele implica com o PT. Ele acha que pode ocupar um vácuo político que não vai ocupar nunca, porque o Ciro nunca foi de esquerda. Quem mora no Ceará sabe disso. Ele passa essa ideia para quem vê de fora com aqueles arroubos, frases prontas, doido para fazer manchete. Pode ser progressista e olhe lá. Quando foi governador do estado não foi grande coisa não. Está muito mais pra uma centro direita”, declarou.

Para a deputada, o ex-ministro “não sabe o que é um coletivo” e destacou as passagens dele por oito partidos “de todos os espectros”. “Eles não tem noção de coletivo. Nem sempre as coisas são do jeito que você quer, muitas cabeças pensam melhor do que uma. Acho que ele tem uma ‘inveja’ da formação coletiva do PT. A gente briga internamente, mas quando sai unificado não tem pra ninguém. O PT não é um partido institucional, é um movimento social”, avaliou.

“Até dentro do PT tinha gente que tinha ilusão com o Ciro. Mas ele ofendeu tanto os petistas e o presidente Lula que hoje ele é persona-non-grata na direção nacional. E se depender de mim continuará sendo”, finalizou.

Luizianne comentava sobre às críticas que faz ao governo do estado sobre a questão da segurança pública, mas negou que fará oposição a Santana caso assuma o Paço Municipal. “Ele sabe as críticas que eu tenho à política de segurança pública, eu não nego, mas não vou fazer oposição ao estado porque já vou ter muita gente a me opor. Inclusive o governo Federal, que vai tentar sufocar de todas as formas os governos exitosos do PT no Nordeste”, declarou.

Fonte/Revista Forum