Na CPI da Pandemia, Braga chama de criminosa paralisia do Governo do Estado diante do avanço da Covid-19

Compartilhe:

O senador Eduardo Braga (MDB/AM) classificou, nesta terça-feira (18/05), de criminosa a paralisia do Governo do Estado do Amazonas, que, no auge da crise sanitária da Covid-19, não repassou ao Ministério das Relações Exteriores as informações técnicas para que o governo norte-americano disponibilizasse um avião para transportar cilindros de oxigênio até a capital Manaus.

A manifestação do parlamentar ocorreu após o ex-chanceler Ernesto Araújo revelar o fato em depoimento à CPI da Pandemia. “Nós imediatamente contatamos, com toda urgência, o Governo do Estado do Amazonas para que nos desse as especificações, então, do oxigênio, quer dizer, que tipo de cilindro, as especificações mínimas, das quais nós não dispúnhamos e de que os Estados Unidos precisavam para proceder a isso. Passaram-se dois, três dias, e não recebemos essas especificações. Acabou não se materializando”, disse Araújo.

Eduardo, então, respondeu: “Não chegaram essas informações, ou seja, é mais criminoso ainda! Havia o avião, havia as tratativas do Governo brasileiro, por meio da Chancelaria, e esse avião não foi utilizado para salvar vidas por não ter havido informações complementares”. “Por outro lado, o Ministério da Saúde, substituindo o papel do Governo do Estado, também não o fez! Enquanto isso, lamentavelmente, os amazonenses morriam por falta de oxigênio”, completou o senador.

Diante dos demais integrantes do colegiado, Eduardo ainda dirigiu duras críticas ao desempenho do governador do Amazonas para solucionar uma crise sem precedentes registrada desde o ano passado e que culminou, no começo de 2021, com o falecimento diário de, aproximadamente, 200 cidadãos em virtude da Covid-19 e da falta de assistência.

“É inepto, incompetente e, pelo que dizem o Ministério Público e a Polícia Federal, não agiu com correção no combate à pandemia no Estado. Esta CPI terá que apurar a responsabilidade daqueles que deixaram os amazonenses e os brasileiros morrerem”, disse o senador.

Neste momento, ele lembrou um trecho do depoimento prestado há duas semanas pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta à CPI, no qual afirmou que não houve falta de recursos federais para socorrer o Amazonas diante do avanço do coronavírus.

“E nós vamos perguntar aos representantes do Governo e até ao próprio Governo do Amazonas o que faltou por parte deles, que, na minha opinião, foi competência, capacidade de gestão e de planejamento e vontade de salvar a vida dos amazonenses”, assegurou Eduardo.