Rússia venderá antiviral contra covid-19 para o Brasil e mais 16 países

With the facade extending for 242 m along the eastern side of Red Square, the Upper Trading Rows were built between 1890 and 1893 by Alexander Pomerantsev responsible for architecture and Vladimir Shukhov responsible for engineering. The trapezoidal building features an interesting combination of elements of Russian medieval architecture and a steel framework and glass roof, a similar style to the great 19th century train stations of London.
Compartilhe:

A Rússia anunciou nesta 5ª feira (24.set.2020) acordo para vender o antiviral Avifavir para 17 países, incluindo o Brasil, para tratamento contra a covid-19. Falta a aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O país negocia o medicamento com 1 laboratório privado brasileiro, que não teve nome informado.

O Avifavir, nome comercial do favipiravir, é utilizado desde 2014 no Japão contra a gripe. É vendido sob o nome de Avigan.

A fabricante Fujifilm, a mesma do ramo de fotografia, iniciou a 3ª fase de testes clínicos do remédio em abril, para ser usado contra o novo coronavírus. A medicação atua na inibição da enzima polimerase, que auxilia na reprodução do vírus depois de infectar a célula. A ação é semelhante à do remdesivir.

A Rússia aprovou o uso emergencia em junho. São 60.000 doses do antiviral em 74 das 85 regiões antes da conclusão dos testes clínicos. A decisão gerou críticas.

Os testes foram realizados em 900 pessoas. Indicaram que 30% dos pacientes tiveram o coronavírus eliminado do corpo, e os outros 70% tiveram o tempo de recuperação reduzido. A empresa afirmou que o uso é seguro e eficaz em casos não graves.

O fundo soberano da Rússia já anunciou acordos com outros países. Agora, além do Brasil, África do Sul, Árabia Saudita, Argentina, Bulgária, Chile, Colômbia, Emirados Árabes, Eslováquia, Equador, El Salvador, Honduras, Kuwait, Paraguai, Panamá, Sérvia e Uruguai também receberão.

Poder360