Serafim: combate ao tráfico de drogas pede operação permanente das forças de segurança na fronteira do AM

Compartilhe:

Após onda de ataques criminosos em Manaus e municípios do interior registrados neste final de semana, o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) propôs que as Forças Armadas, SSP-AM (Secretaria de Segurança Pública) e Polícia Federal trabalhem em conjunto no combate ao tráfico de drogas na fronteira do Amazonas.

“Todos nós sabemos por onde entra a droga no Brasil, ela entra pela tríplice fronteira – Brasil, Colômbia e Peru – lá pelo Rio Solimões, onde a ausência do estado se faz sentir. Nós, pelo que vemos, estamos sem serviço de inteligência, o governo brasileiro e o governo amazonense estão levando bola na costa. É necessário desarmarmos os espíritos, deixarmos batalhas partidárias ou eleitorais de lado e as forças de segurança sentarem, conversarem, dialogarem e não abrindo mão de ninguém, e aí tem que entrar Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiros”, disse Serafim durante discurso na sessão plenária desta terça-feira, 8.

Para Serafim, o combate às rotas de tráfico na fronteira passa, primeiramente, pela necessidade do serviço de inteligência, e com a integração entre as forças estaduais e federais.

“Não pode um ter a informação e escondê-la do outro. Essa informação tem que ser compartilhada e é preciso a presença do Estado Brasileiro. Eu me pergunto o que fazem os 200 mil fuzileiros navais no Rio de Janeiro. Eles vão defender o Rio de Janeiro de quê? De nada, ninguém vai atacar o Rio de Janeiro. Mas o Brasil está sendo atacado pela fronteira fluvial no Rio Solimões, no Rio Javari”, questionou Serafim.

“Porque não transferir unidades da Marinha do Brasil, incluindo equipamentos, para a nossa fronteira com Colômbia e Peru? Será que isso não seria mais eficaz e não haveria um suporte à Polícia Federal. Ali, onde já temos a presença do Exército, precisamos ter o apoio da Marinha para obstruir a entrada da droga”, complementou o deputado.

Em aparte a Serafim, o deputado estadual Adjuto Afonso defendeu que é necessário reprimir o tráfico de drogas com auxílio do governo federal e das forças estaduais.  “Quanto mais tivermos polícia, melhor. Mas não adianta não termos forças de repressão nessas fronteiras, caso contrário, estaremos enxugando gelo, porque o rio Madeira e o rio Purus, além do rio Solimões, também são rota do tráfico”, observou o parlamentar.