Venezuela apreende armas de guerra enviadas dos EUA por via marítima

Compartilhe:

Nesta quarta-feira (1), a polícia da Venezuela apreendeu um carregamento de armas de guerra provenientes dos Estados Unidos, que chegaram ao país por via marítima. As armas foram encontradas durante uma operação no porto de Carabobo, na região central da costa venezuelana.

O vice-ministro Humberto Ramírez, responsável pelo Sistema Integrado de Investigação e Paz do Ministério do Interior, informou sobre a prisão de duas pessoas que seriam os responsáveis pela tentativa de ingressar as armas no país.

Apesar de não dar maiores detalhes sobre a identidade das duas pessoas detidas, o vice-ministro disse que a ação se assemelha à realizada nos últimos dias 3 e 4 de maio, quando houve duas tentativas fracassadas de invasão ao país por parte de grupos de mercenários conformados por estadunidenses, colombianos e ex-militares venezuelanos, ligados à empresa Silvercorp, com vínculos com a administração de Donald Trump.

“Eles queriam continuar com o plano de desestabilização política. Nós, como governo bolivariano, continuaremos aprofundando a investigação para colocar os responsáveis por esta nova tentativa nas mãos da Justiça”, afirmou Ramírez.

Entre as armas apreendidas havia 21 fuzis AK-47, duas pistolas de 9 mm, 110 cartuchos e mais de 5 mil munições de diferentes calibres. O vice-ministro Ramírez afirmou que o país está trabalhando com a Interpol para identificar as pessoas envolvidas no caso.

“Como parte da investigação, temos a questão de como um dos países com mais tecnologia e maior controle sobre questões de segurança permite que essas armas sejam transportadas por mar e contrabandeadas para o território venezuelano”, comentou o vice-ministro, em clara alusão aos Estados Unidos.