Arsepam identifica particularidades no transporte rodoviário e hidroviário de Silves e Itapiranga

Compartilhe:

Dando continuidade às visitas técnicas no interior do Amazonas, a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados e Contratados do Estado (Arsepam) verificou, na terça-feira (19/10), o transporte rodoviário e hidroviário intermunicipal de Silves e Itapiranga, respectivamente a 204 e 227 quilômetros de Manaus.

O diretor-presidente da Arsepam, João Rufino Júnior, explica que as visitas técnicas aos municípios fazem parte do processo de ampliação das atividades da autarquia.

“Nossas ações compõem uma fase de estudos para a expansão da Arsepam nessas cidades. Hoje o atendimento da Agência está centralizado na capital. No entanto, em razão da finalidade e das atribuições, sobretudo em relação aos transportes rodoviário e hidroviário intermunicipal, se faz necessário que o órgão tenha instalações no interior do estado”, disse o gestor.

Ainda segundo ele, as visitas técnicas ainda são um trabalho preliminar, de levantamento de informações para que, em uma segunda etapa, com previsão para o segundo trimestre de 2022, a Arsepam intensifique a instalação de postos avançados nos municípios do Amazonas.

Começo

Os trabalhos dos técnicos iniciaram, na terça-feira, por Silves. O acesso à cidade pode ser feito por meio de uma balsa que realiza o transporte intramunicipal. Segundo moradores da localidade, o serviço de transporte hidroviário intermunicipal está paralisado desde o início da pandemia. Por isso, para ir a outros municípios, a população opta por sair em carros da Associação de Taxistas de Silves (ATS) e ônibus da empresa Transamazônica.

Silves conta com uma Instalação Portuária Pública de Pequeno Porte (IP4) em excelentes condições, conforme parecer do Departamento de Transporte Hidroviário (DETH) da Arsepam. O espaço deve ser inaugurado em breve pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Específico

Situado na calha do Médio Amazonas, assim como Silves, Itapiranga conta com um diferencial em relação aos demais municípios do estado: os serviços de transporte rodoviário e hidroviário são oferecidos à população em um mesmo espaço.

No entanto, por enquanto, devido à vazante, os moradores estão utilizando somente o serviço de transporte rodoviário no local, sendo a empresa Aruanã a única operadora. O espaço conta ainda com os trabalhos da Cooperativa de Taxistas de Itapiranga (Cooptaxi), com viagens diárias para Manaus e Itacoatiara.

Em Itapiranga, as embarcações estão conseguindo atracar no Terminal de Passageiros, Cargas e Entreposto de Pescado – João Antunes, que fica à esquerda do IP4 do município. A partir dele, a população consegue deixar a cidade rumo a outras localidades do Amazonas.

O técnico do DETH da Arsepam, Afonso Henrique, avalia como positiva as instalações portuárias conhecidas até o momento pelas equipes do órgão. Os dados coletados pela Agência Reguladora ajudarão no processo de catalogação das necessidades de cada município e também a entender o fluxo de passageiros e a frequência de viagens.

Ainda nesta semana, as equipes da Agência Reguladora devem ir para São Sebastião do Uatumã e Urucará, cidades da calha do Baixo Amazonas localizadas, respectivamente, a 247 e 261 quilômetros em linha reta da capital amazonense.