Governo do Amazonas integra reunião interinstitucional com foco no desenvolvimento regional no sul do estado

Compartilhe:

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), participou, nesta terça-feira (19/10), em Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus), de uma reunião interinstitucional voltada a viabilizar ações para o desenvolvimento de cadeias produtivas do agronegócio na Zona de Desenvolvimento Sustentável (ZDS) Abunã-Madeira (antiga Amacro). O encontro foi liderado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Foram discutidas ações de fomento e desenvolvimento regional e a possibilidade de Humaitá se tornar projeto-piloto da ZDS, a fim de viabilizar o tripé do desenvolvimento sustentável (ambiental, social e econômico) da região. A reunião contou com a presença de representantes do Programa Calha Norte, de instituições públicas e privadas do Amazonas, Rondônia e Acre, e de empresários humaitaenses.

O secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, ressaltou a oportunidade de promover o desenvolvimento de forma sustentável na região sul do Amazonas, em ação integrada com o Governo Federal, os governos do Amazonas, Acre e Rondônia, prefeitura municipal e várias instituições de pesquisa, ensino e extensão.

“Todos reunidos com um único propósito de desenvolver a região do sul do estado. É um projeto que visa evitar o desmatamento e a degradação ambiental, e também que preserva o cidadão”, afirma Petrucio.

Humaitá é um dos sete municípios do sul do Amazonas (os outros são Apuí, Boca do Acre, Canutama, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã) que está na área de abrangência geográfica do projeto Abunã-Madeira, juntamente com 13 cidades do leste do Acre e 12 do noroeste de Rondônia.

“Queremos integrar todos os atores, para juntos compartilhar nossas experiências, aproveitar nossas capacidades e criar uma sinergia necessária, por meio de várias iniciativas ocorrendo simultaneamente, para potencializar essa região, gerando emprego e renda, melhorando a qualidade de vida da população. A ideia é colocar sempre na legalidade, fomentando as matrizes econômicas, que beneficie a população e, ao mesmo tempo, contribua com a conservação da nossa floresta”, disse o superintendente Algacir Polsin, titular da Suframa.

O projeto visa promover sinergia interinstitucional em nível regional e nacional, estabelecendo ações voltadas aos eixos de desenvolvimento produtivo (agronegócio, indústria, bioeconomia e turismo) e infraestrutura econômica e urbana (logística e transporte, energia e telecomunicações).

Participaram da composição da mesa, ao lado de Algacir Polsin e Petrucio Magalhães Júnior, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, deputado Roberto Cidade; o reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Sylvio Puga; o prefeito de Humaitá, Dedei Lobo; o deputado estadual Adjuto Afonso; o vice-governador do Acre, Wheles Rocha; o diretor do departamento de Programa Calha Norte, general Ubiratan Poty; o prefeito de Labrea, Gean Barros; e o representante da Câmara Municipal de Humaitá, Manoel Domingos.

Continuidade

Nesta quarta-feira (20/10), no auditório Governador Jerônimo Santana, localizado em Porto Velho (RO), a reunião terá continuidade com as palestras temáticas sobre a ZDS, apresentadas por representantes do Governo do Amazonas, Acre e Rondônia.

Pecuária em Humaitá – Ainda em Humaitá, o secretário Petrucio Magalhães realizou visita ao campus da Ufam para alinhar o convênio que foi assinado entre Governo e a Universidade, para a realização do Mapeamento da Pecuária da região do sul do Amazonas. A reunião contou com a presença do reitor da Ufam e professores da universidade no município.

Com investimento de aproximadamente R$ 270 mil, serão mapeadas cerca de 20 propriedades de diferentes pecuaristas, que variam de 100 a 300 cabeças de gado, dos municípios de Apuí, Boca do Acre, Humaitá e Manicoré.

“É um pontapé inicial, reconhecendo o grande potencial do município. Precisamos conseguir ainda mais esses esforços, deixar de lado as vaidades. Com a união temos a força, é uma boa iniciativa do Governo e Universidade”, ressaltou Heron Costa, professor do Instituto de Educação, Agricultura e Meio Ambiente (IEAA) da Ufam.