Carol Solberg pode sofrer sanção da CBV por críticas a Bolsonaro

Compartilhe:

METRO – A jogadora de vôlei de praia Carol Solberg entrou na mira da Confederação Brasileira de Vôlei após protesto no domingo (20) contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, durante entrevista ao vivo de Saquarema, no Rio de Janeiro.

A atleta havia conquistado uma medalha de bronze na primeira etapa do Circuito Brasileiro ao lado de Talita Antunes, e estava sendo entrevistada pelo canal SporTV. Após o término da disputa pelo terceiro lugar contra Josi e Juliana, as atletas foram agradecer ao público na transmissão. “Só para não esquecer, fora Bolsonaro”, finalizou Carol.

A CBV emitiu nota logo após a manifestação da atleta, dizendo-se “veementemente contra a utilização dos eventos organizados pela entidade para realização de quaisquer manifestações de cunho político”. A confederação diz ainda que a fala de Carol “em nada condiz com a atitude ética que os atletas devem sempre.

A entidade ainda acusou Carol de “manchar”, num “ato totalmente impensado”, a etapa do campeonato, que marcou o retorno do vôlei de praia brasileiro, interrompido no início da pandemia.

Por fim, a CBV destacou que “tomará todas as medidas cabíveis para que fatos como esses, que denigrem [sic] a imagem do esporte, não voltem mais a ser praticados”.