Raiff alerta MEC sobre livro que banaliza suicídio

Compartilhe:

O vereador Raiff Matos encaminhou ofício ao Ministério da Educação alertando sobre conteúdo que banaliza o suicídio em livro didático da série Avalia Brasil. O vereador também quer mais informações do MEC sobre os critérios para a seleção do material disponibilizado aos estudantes das escolas públicas. O problema foi detectado em um livro de Língua Portuguesa destinado aos estudantes do 6º Ano. O livro foi distribuído pelo governo federal à rede estadual de ensino no Amazonas. 

“Que fique claro que não se trata de censura a nenhum livro. Mas apenas uma adequação de conteúdo à faixa etária para a preservação dos estudantes”, disse o vereador.

Diante da denúncia de pais de alunos do Colégio Militar da Polícia Militar 5 (Ten. Cel. Cândido José Mariano), o vereador esteve na unidade de ensino localizada no bairro de Flores e conversou com o diretor e com a coordenadora pedagógica da escola.  

“A direção da escola e a coordenação pedagógica me informaram que conteúdos sensíveis são discutidos em sala de aula, adotando uma abordagem mais conscientizadora, como é o exemplo do setembro amarelo com relação as ações de prevenção ao suicídio. Mas minha preocupação é saber se as escolas e os professores estão alertas para perceber os riscos em textos como o citado por mim. No livro, em momento algum está colocado para contextualizar o tema”, afirmou o vereador. 

O vereador avalia que o texto, apesar do valor literário, não tem o tratamento pedagógico adequado para estudantes de 12 anos. Pela forma romantizada como trata um tema tão sensível deveria ser impróprio para estudantes dessa idade. “Ele é tratado como um produto literário que romantiza um tema que pode servir de gatilhos para jovens com tendência depressiva ou outras perturbações em sua saúde mental”, afirmou. 

Raiff lembrou que o próprio presidente Jair Bolsonaro falou, durante sua última live, sobre o encaminhamento de denúncias sobre materiais e conteúdos didáticos que são inadequados para a formação de estudantes. “Estou fazendo a minha parte e vou continuar alerta para preservar as famílias, inclusive nas escolas”, afirmou.